Parcerias internacionais é a aposta do GDF para trazer recursos para Brasília


O governo destaca que o acordo com a TAP deve impulsionar o turismo em toda região Centro-Oeste

Em meio a dificuldades financeiras e arrocho orçamentário na capital e em todo o país, o Governo do Distrito Federal (GDF) aposta em parcerias internacionais para complementar o caixa. O primeiro escalão do Poder Executivo fez cinco viagens internacionais em busca de novos recursos nos primeiros meses de mandato. Além do governador Ibaneis Rocha (MDB) e do vice Paco Britto (Avante), sete representantes participaram das comitivas.

“O Brasil não tem dinheiro para investir, ao passo que vários países procuram oportunidades de negócios. Na Europa, principalmente, há muito dinheiro represado”, justifica, em nota, o GDF. “Essa é uma das maneiras mais eficazes para trazer dinheiro novo e criar oportunidades”, completa o texto, assinado pela Secretaria de Comunicação.

Ibaneis Rocha foi duas vezes ao exterior neste início de governo. Nas duas ocasiões, visitou a capital portuguesa, Lisboa. Há a possibilidade, de acordo com a Secretaria de Comunicação, de que embarque para duas viagens nas próximas semanas — para Estados Unidos e China. Em todos os deslocamentos, o governador arcou com as despesas.

Na primeira passagem pela cidade lusitana, entre 12 e 16 de março, o emedebista assinou um protocolo de intenções entre o GDF e a TAP Air Portugal. O acordo prevê a transformação de Brasília em uma stopover. Na prática, os turistas que viajarem da Europa ao Brasil, com conexão em solo candango, poderão permanecer na cidade por até cinco dias sem custos extras na passagem.

Além de Ibaneis, participaram do evento o secretário de Relações Internacionais, Pedro Luiz Rodrigues, a comandante da pasta de Turismo, Vanessa Mendonça, e a chefe de gabinete, Kaline Gonzaga. Na segunda viagem, Ibaneis, acompanhado de Kaline, participou do Fórum Jurídico de Lisboa.

Paco Britto também organizou comitiva para visitar o exterior em busca de recursos. Acompanhado do secretário de projetos especiais, Everardo Gueiros, de Pedro Luiz Rodrigues e do chefe de gabinete da vice-governadoria, Paulo Chaves, Paco está na Europa desde a última quinta-feira. As cidades de Estocolmo (Suécia), Berlim (Alemanha) e Lisboa estão na rota do grupo.

Na pauta do vice-governador e da comitiva, há reuniões técnicas e encontros com empresas e agências de desenvolvimento internacionais. Projetos de mobilidade urbana, como a expansão do metrô, a implantação do BRT, a construção de viadutos e de terminais rodoviários, estão entre as propostas que o grupo apresentará à procura de apoio.

Outras viagens

A capital portuguesa é o destino preferido do primeiro escalão do GDF. Além das visitas do governador e do vice, a cidade receberá o presidente do Departamento de Estradas e Rodagens (DER-DF), Fauzi Nacfur, e do secretário de Mobilidade, Valter Casimiro. O comandante da entidade participará do 9º Congresso Rodoviário Português, de 26 a 31 de maio. A viagem está autorizada no Diário Oficial do DF.

O secretário de Cultura do DF, Adão Cândido, esteve em Austin (Estados Unidos), em março. O comandante da pasta participou do South by Southwest — SXSW. A conferência conta com um conjunto de festivais de cinema, música e tecnologia e é um dos principais eventos voltados para a economia criativa.

A chefe da Secretaria da Mulher, Ericka Filippelli, esteve em Bogotá (Colômbia) entre 21 e 25 de abril. Ela participou da 10ª Reunião do Comitê Setorial de Igualdade da UCCI, evento que discute temas relacionadas à igualdade de gênero. O GDF não teve ônus com a visita.

De acordo com o Portal da Transparência, o GDF empenhou R$ 141 mil em despesas especificadas como “diárias no exterior”. Os dados incluem também visitas de funcionários de órgãos, como a Adasa, a outros países. Os gastos com passagens no sistema, não separam, em geral, custos com deslocamentos no país e no exterior.

Parcerias firmadas

De acordo com o GDF, a peregrinação internacional já rendeu recursos para Brasília. Entre as colaborações, o governo destaca que o acordo com a TAP deve impulsionar o turismo em toda região Centro-Oeste e que a parceria entre os aeroportos de Miami e Brasília transformará o DF “num dos maiores, senão o maior, hub comercial da América Latina”.

O governo ressalta ainda outras parcerias em andamento: “Acordo com a Agência Francesa de Desenvolvimento pode significar investimentos de mais de R$ 3 bilhões no DF; empresários chineses já estiveram em Brasília para iniciar a negociação em equipamentos de infraestrutura no DF; a Agência Sueca de Desenvolvimento quer participar de PPPs no DF”.

Fonte: CB

#Brasília #GDF #IbaneisRocha

0 visualização
  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • White Twitter Icon

LEIA PRIMEIRO

© 2020 POR MARCK PUBLICIDADE.