Em Planaltina de Goiás, presidente nacional do PROS é indiciado por agressão a filha de 19 anos

Em depoimento a vitima declara que o pai teria cometido o crime para ficar com o seu carro. Laudo médico aponta que a jovem tinha marcas de mordidas e de pancada no quadril.






A Polícia Civil indiciou o ex-vereador e presidente nacional do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), Euripedes Gomes de Macedo Junior, por agressão à filha de 19 anos para ficar com o carro dela, em Planaltina de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. Segundo laudo médico, a vítima tem marcas de pancadas e mordidas pelo corpo.


A defesa do político é formada pelos advogados Alex Duarte Santana de Barros, Bruno Aurélio Rodrigues da Silva Pena e Paulo Henrique Gonçalves da Costa. Por meio de nota, eles informaram que "não houve situação de flagrante" e que o político "tampouco encontra-se foragido".


Segundo a nota "desde que se separou da mãe de uma de suas filhas, que possui 19 (dezenove) anos de idade, a relação entre pai e filha tem estado abalada.", mas que "Eurípedes financiou um carro para a filha que se comprometeu a ir pagando as prestações restantes. No entanto, em razão da filha não ter pagado nenhuma das prestações, o pai a chamou para conversar e decidiu retomar o carro.".


Continua depois da Publicidade



A defesa também disse que "depois de perder o carro, a filha procurou a Delegacia de Polícia de Planaltina/GO para registrar o fato em desfavor do próprio pai.".


A situação foi registrada na quarta-feira (8). Segundo depoimento da vítima à Polícia Civil, a relação com o pai era conturbada desde 2017, quando ele e a mãe dela se separaram. De acordo com ela, o pai chamou-a ao escritório dele, onde deu a ela R$ 15 mil e tomou o carro dela.


A jovem depôs que não concordou com a proposta do pai, mas que ele pegou a chave das mãos dela e começou as agressões, até que parou, entrou no carro – jogando pela janela o celular e o carregador da filha – e fugiu. Ele também deve responder pela forma como levou o veículo.


Conforme um laudo médico apresentado à Polícia Civil, a vítima ficou com marcas de mordidas e pancadas, segundo ela própria registrou.


O documento apontou que ela foi ferida com mordidas na mão e uma pancada forte no quadril – no qual ela sente dor. Segundo o documento, ela não tinha sangramentos ou fraturas aparentes.


O delegado Cristiomário Medeiros, que está responsável pela investigação do caso, disse que a menina foi socorrida, levada a uma unidade de saúde, que não teve o nome divulgado e está sob observação.


O delegado intimou o ex-vereador para que compareça à delegacia da cidade na segunda-feira (13) para prestar depoimento sobre o caso.


Com informações do G1




0 visualização
  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • White Twitter Icon

LEIA PRIMEIRO

© 2020 POR MARCK PUBLICIDADE.