Enel com os dias contados em Goiás.

Atualizado: 31 de Dez de 2019




Uma batalha épica de gladiadores, de um lado o estado de Goiás, o governo e o povo goiano que em sua grande maioria tem reclamado do atendimento, distribuição e tarifas da distribuidora e do outro lado e mega empresa italiana ENEL (Ente nazionale per l'energia elettrica) que tem tirado o sono da população goiana.


ENEL RECORDE EM RECLAMAÇÕES


Mesmo após a Enel Distribuição Goiás ter anunciado investimentos, o aumento do número de reclamações dos consumidores goianos é alarmante. Segundo a AGR ( Agência Goiana de Regulação), em 2019 foram registrados 133.110 contatos sobre a Enel Goiás.


De janeiro a novembro os contatos dos consumidores na Aneel/AGR referentes a Enel Goiás representaram 14,48% do total de 919.047. Apenas duas distribuidoras de energia elétrica já ultrapassaram os 100 mil chamados. Em 2018, os contatos para falar sobre a Enel Goiás representaram 12,47% do total brasil.




Às cinco principais reclamações dos clientes goianos de acordo com a Aneel/AGR são: falta de energia (29,41%), devolução de valores por antecipação de obras (18,76%), variação de consumo (18,76%), ligação (5,47%) e qualidade serviços – interrupções (4,42%).


Continua depois da Publicidade


UMA MULTA PARA TIRAR O SONO DA ENEL


A Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR) multou a Enel, concessionária de energia em Goiás, em R$ 62 milhões por conta da má qualidade de serviços prestados no estado. O órgão sustenta que a empresa não cumpre o Plano de Resultados acordado com o governo, é alvo de milhares de reclamações - principalmente por falta de energia - e tem problemas estruturais.


Em nota, a Enel informou que está analisando o relatório da AGR, mas adiantou que está cumprindo o plano e dará continuidade ao mesmo.


LEIA A EDIÇÃO COMPLETA DO JORNAL GAZETA DO ESTADO:

https://gazetadoestado.s3-eu-west-1.amazonaws.com/uploads/arquivos/2019/11/4087.pdf





O INÍCIO DO FIM


A Comissão Mista da Alego (Assembléia Legislativa de Goiás) aprovou, por unanimidade, o projeto de lei que propõe a rescisão do contrato de distribuição de energia firmado entre o governo do estado e a Enel. Os deputados questionam a qualidade dos serviços oferecidos. A empresa afirma que o projeto é inconstitucional.


O texto, relatado na comissão pelo deputado Paulo Trabalho (PSL), ainda precisa ser aprovado em duas votações no plenário para passar pelo crivo do governador Ronaldo Caiado (DEM), o qual já informou que irá sancionar a lei caso ela avance.





O projeto prevê o fim do acordo e a realização de uma nova licitação para escolher outra empresa para operar o serviço. Enquanto isso, caberia à Celg Geração e Transmissão S/A (Celg GT) assumir a operação e distribuição de energia elétrica.


Em nota, a Enel informou que o projeto é inconstitucional, pois a concessão para a distribuição de energia é feita pelo governo federal. Portanto, não caberia à Assembleia legislar sobre o assunto.


NESSA ARENA DE GLADIADORES QUEM SOFRE É O POVO GOIANO

Uma coisa é certa, nessa arena o povo é que está sofrendo com golpes diretos que os levam a nocaute, preços, tarifas altíssimas e um serviço de péssima qualidade.

Que nossas autoridades possam de forma ágil dá um fim nessa guerra e entregar a vitória ao povo goiano


Pessoal não esqueçam do nosso encontro todas às sextas no seu Programa Imparcial na sua Cidade TV. Acesse: https://www.facebook.com/programaimparcial/

0 visualização
  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • White Twitter Icon

LEIA PRIMEIRO

© 2020 POR MARCK PUBLICIDADE.