GDF proíbe visitas a pacientes com coronavírus internados em UTI

Medida foi divulgada após marido de mulher infectada ser diagnosticado com Covid-19. Norma cita incerteza sobre período de transmissão do vírus.

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal proibiu a visita a pacientes diagnosticados com o novo coronavírus (COVID-19) que estejam internados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) da capital. A norma foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (11).


A medida foi tomada um dia após o marido da paciente infectada pela doença no DF também receber o diagnóstico positivo de contaminação. O homem de 45 anos é o segundo caso divulgado pela secretaria. Ele passou por exame após determinação da Justiça, a pedido do governo.


Em nota, o Ministério da Saúde informou que, apesar da confirmação, os dados oficiais somente serão divulgados à tarde (entenda abaixo). A situação do paciente não constava nos registros oficiais até as 11h desta quarta (11).


Entre as justificativas para a proibição de visitas em UTIs, a Secretaria de Saúde cita que "não há informação suficiente que defina quantos dias anteriores ao início dos sinais e sintomas uma pessoa infectada passa a transmitir o vírus".


Continua depois da Publicidade



"[...] a situação demanda o emprego urgente de medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública, a fim de evitar a disseminação da doença."

A norma, no entanto, não deixa claro se a proibição se estende a pacientes isolados em casa ou internados na enfermaria de hospitais. O G1 questionou a secretaria sobre a orientação nestes casos, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.


Coronavírus no DF


No último balanço, divulgada na tarde desta terça (10), o Ministério da Saúde confirmava apenas um caso de coronavírus no DF.


O caso já confirmado é o de uma mulher de 52 anos, que está internada no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). O marido dela foi considerado suspeito em razão do contato direto com a esposa, mas se recusava a passar pelo exame.


Na segunda-feira (9), a Justiça do DF atendeu a um pedido do GDF e o obrigou a fazer um teste para indicar se o paciente havia contraído o novo coronavírus. Conforme a decisão, ele terá que ficar em isolamento em casa.


A advogada da família, Claudia Rocha, no entanto, afirmou que o homem "apenas ficou ao lado da esposa" enquanto era feita a transferência dela de um hospital particular para o Hran.


Leia a íntegra da nota do Governo do DF sobre segundo caso de coronavírus:


"Paciente está em bom estado geral, permanece sendo monitorado em isolamento domiciliar.
Equipe do Cievs faz monitoramento diário, e caso apresente algum sintoma ou quadro de desconforto respiratório será então encaminhado para internação.
No momento não tem indicação de internação, apenas manter o isolamento domiciliar.
Serão feitos exames com as amostras, mas o exame do Laboratório Sabin já é validado a partir do primeiro caso que foi feita a contraprova."

Com informações do G1



41 visualizações
  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • White Twitter Icon
leão icone.png

LEIA PRIMEIRO

© 2020 POR MARCK PUBLICIDADE.