Heleno reage ao pedido do STF para apreensão de celular do presidente.

Atualizado: Mai 25

O Palácio do Planalto reagiu à decisão do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, de encaminhar para análise da Procuradoria-Geral da República pedido de apreensão dos celulares do presidente Jair Bolsonaro e seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).


Na tarde de ontem, o ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), assinou uma nota afirmando que se o pedido “inconcebível e inacreditável” for aceito poderá ter “consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.


A “Nota à Nação Brasileira”, como o comunicado foi chamado por Heleno, foi autorizada pelo presidente e chancelada pelos ministros militares que despacham no Planalto. “Eu olhei e falei: ‘o senhor fique à vontade'”, relatou Bolsonaro numa entrevista na noite de ontem. “Agora, peraí: um ministro do STF querer o telefone funcional de um presidente da República que tem contato com líderes do mundo… tá de brincadeira, comigo?”, emendou.


O ministro da Defesa, Fernando Azevedo, também endossou a nota antes da divulgação. “A simples ilação de o presidente da República ter de entregar o seu celular é uma afronta à segurança nacional.


Nota.

Com informações da Isto é



147 visualizações1 comentário
  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • White Twitter Icon
leão icone.png

LEIA PRIMEIRO

© 2020 POR MARCK PUBLICIDADE.