Hugo 9: 'Retomando forte às obras de Águas Lindas, acho que conseguiremos entregar no fina do ano.'

Sobre o hospital de Águas Lindas, estamos tomando providências administrativas porque a empresa [responsável pela obra] está muito lenta. Diz o secretário Ismael Alexandrino.

Ismael Alexandrino, secretário da Saúde de Goiás, afirma que herdou R$ 728 milhões em dívidas da gestão passada. Recursos que deveriam ter sido repassados para as Organizações Sociais (OS) que gerem os hospitais estaduais, fornecedores de medicamentos e repasses para os municípios, que estavam atrasados há 13 meses no final de 2018.


Somente com as OS restam ainda cerca de R$ 70 milhões a serem pagos, segundo as contas do secretário. O secretário declara que etá prevendo 16 obras na saúde e que irá concentrar muita força para que elas se efetivem.


Sobre a regionalização, Ismael afirma que é um dos pilares de de sua gestão, que está no plano de governo do governador Ronaldo Caiado, que será consolidada


Continua depois da Publicidade



Confira o trecho da entrevista na qual o Secretário de Saúde fala sobre às obras do Hospital Regional Hugo 9 em Águas Lindas de Goiás


Este ano conseguimos cumprir a vinculação. O governador Ronaldo Caiado nos deu o total apoio, investimos mais que os 12% constitucionais, repassamos para os 246 municípios, ordinariamente, de janeiro a dezembro, tudo o que deveria ser repassado. Não era uma prática das gestões anteriores. Havia 13 meses em atraso.


Finalizamos o ano com a quitação do fornecimento de medicamentos, que vinha às vezes de 2012 a 2018, e de equipamentos. E finalizamos o ano com R$ 101 milhões em caixa. No finalzinho do ano o governador Ronaldo Caiado nos apoiou muito nesse sentido junto ao Ministério da Saúde e aos parlamentares. Ao longo do ano, a gestão estadual conseguiu junto à gestão federal em torno de R$ 357 milhões.


Isso nos deu um grande fôlego, pois, se consigo pagar os fornecedores, consigo ter credibilidade no mercado, obter menores preços e não ter desassistência. A gestão orçamentária-financeira foi muita ajustada durante o ano.


Hoje, permanece a dívida dos municípios dos 13 meses passados, mas o ordinário temos passado, são R$ 150 milhões. Remédios não devemos nada, equipamentos, zero, Organizações Sociais em torno de R$ 70 milhões. Estou muito próximo de pagar de R$ 50 a R$ 53 milhões [às OS] com remanejamento de balancetes positivos de outras.


Do ponto de vista de gestão, avançamos muito, o que possibilitou avançar em abertura de leitos de UTI e convênios no interior, abrimos mais de 70 leitos. Fizemos convênio com o Araújo Jorge de R$ 1,8 milhão, com a Santa Casa de R$ 2 milhões, com Catalão de R$ 800 mil, com a Santa Casa de Anápolis de R$ 600 mil, Hospital Padre Tiago de Jataí de R$ 937 mil, Hospital Pedro Alcântara de R$ 837 mil.





Do ponto de vista da regionalização, também conseguimos avançar. Retomada da construção para finalização do hospital de Uruaçu, com 240 leitos. O de Águas Lindas, estamos tomando providências administrativas porque a empresa [responsável pela obra] está muito lenta.

O Norte, que hoje é desassistidos, além das policlínicas passa a ter o Hospital de Uruaçu. O Entorno do DF, [contará com] o hospital de Águas Lindas. O hospital de Formosa está com processo em tramitação para ser estadualizado e o município também terá uma policlínica. Hoje lá não existe nada e passará a ter dois equipamentos importantes.


Em Jataí, o Hospital das Clínicas será estadualizado, a tramitação está sendo concluída até o final do semestre. Em São Luiz de Montes Belos está previsto [a construção de] uma policlínica e a estadualização do hospital com unidade de terapia intensiva.


Apesar do arrocho financeiro, conseguimos avançar muito e quitar muitas coisas. Acredito, portanto, que 2020 será um ano de muitas entregas. No final de janeiro, vamos inaugurar a totalidade dos leitos do Hugol, com início das cirurgias cardíacas e mais UTIs. Em fevereiro, o Hugol receberá a [acreditação] Ona 2; e o Hurso [Hospital de Urgências da Região Sudoeste] receberá a Ona 1. Estamos pleiteando uma acreditação europeia para o HGG, acredito que conseguiremos.


No final de fevereiro, provavelmente no dia 28, inauguraremos a Policlínica de Posse, ao mesmo tempo estão sendo concluídas as de Goianésia e a de Quirinópolis. Talvez em março ou abril [inauguraremos].


Em maio entregaremos o Hemocentro da Avenida Anhanguera, em Goiânia. A estrutura hoje é muito precária e terá ampliada em 65% a sua capacidade.


Continua depois da Publicidade


Retomando forte [as obras] de Águas Lindas acho que conseguiremos entregar no fina do ano.

A regionalização, que é um dos pilares de nossa gestão e está no plano de governo do governador Ronaldo Caiado, vai ser consolidada.

Rodrigo Hirose – E o hospital de Santo Antônio de Descoberto, será retomado?

É uma obra que começou a 19 anos. Decidimos colocar nossas forças naquilo que temos condição de entregar. O hospital de Santo Antônio do Descoberto, se ficasse pronto hoje, do jeito que ele está, seria inadequado e não teria aprovação da vigilância.

Para o Entorno [do DF] nós focamos em Águas Lindas. Não vamos prometer aquilo que não temos condições de entregar.

Estamos prevendo 16 obras na saúde e vamos concentrar muita força para que elas se efetivem.


Clique Aqui e confira a entrevista na integra no Jornal Opção




190 visualizações
  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • White Twitter Icon
leão icone.png

LEIA PRIMEIRO

© 2020 POR MARCK PUBLICIDADE.