Ministra Cármen Lúcia nega pedido de habeas corpus e mantém Sara Winter presa

Apontada como chefe de grupo extremista que apoia o presidente Jair Bolsonaro, ela está presa desde segunda-feira, como parte do inquérito que apura a organização de atos antidemocráticos.

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido de habeas corpus impetrado pela defesa da extremista Sara Giromini para tirá-la da prisão – a íntegra da decisão da ministra não foi divulgada. Apontada como chefe de um grupo de extrema-direita que apoia o presidente Jair Bolsonaro, ela está presa desde segunda-feira (15)


A apoiadora do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), foi presa no início da semana em uma operação da Polícia Federal, que apura manifestações de rua antidemocráticas.


Há indícios de que o grupo continua organizando e captando recursos financeiros para ações que se enquadram na Lei de Segurança Nacional, que define crimes contra a ordem política e social.


A decisão do STF de manter Winter presa partiu da ministra Cármen Lúcia, que analisou quatro pedidos de habeas corpus e negou todos.


Por Marcos Alexandre





0 visualização
  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • White Twitter Icon

LEIA PRIMEIRO

© 2020 POR MARCK PUBLICIDADE.