Padre Robson tem direitos sacerdotais suspensos

Ele pediu afastamento da Associação Filhos do Pai Eterno, que administra o Santuário Basílica de Trindade. Padre é investigado por desvio de dinheiro para compra de imóveis e nega acusações.

O arcebispo metropolitano Dom Washington Cruz suspendeu temporariamente neste domingo (23) o direito de realizar celebrações do padre Robson de Oliveira, investigado por supostos desvios de dinheiro de doações para comprar fazendas, casa na praia e outros itens de luxo. O religioso, que era reitor da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), responsável pelo Santuário Basílica de Trindade, nega qualquer irregularidade.


Segundo a nota à imprensa o objetivo é “tutelar os fiéis e garantir a imparcialidade das investigações”. Padre Robson pediu afastamento da Afipe na sexta-feira (21), após o Ministério Público realizar a Operação Vendilhões.


De acordo com as investigações, em dez anos, a Afipe movimentou R$ 2 bilhões. O MP apura se R$ 120 milhões foram usados para finalidades fora das atividades religiosas. Entre as transações insvestigadas estão a compra de uma fazenda no valor de R$ 6,3 milhões e uma casa de praia na Bahia por R$ 2 milhões.


Continua depois da Publicidade

O decreto da Arquidiocese de Goiânia que suspendeu os direitos do padre de realizar celebrações diz que a medida é devido à “necessidade de prevenir escândalos, garantir o curso da Justiça e tutelar a fé, bem como investigar as acusações realizadas contra o padre Robson de Oliveira”.


O documento traz ainda que a medida tem caráter administrativo, não penal. Não foi estipulado um período para essa suspensão.


Em nota, o padre Robson informou que recebeu com humildade a revogação temporária do uso de ordens e que se trata de um procedimento prévio no direito canônico. “O maior interessado no esclarecimento de todas as questões e na total transparência de todas as suas ações é o próprio padre Robson”, diz o comunicado.


Veja Também

VÍDEO: "vontade é encher tua boca com uma porrada". Diz Bolsonaro a jornalista


Segundo o Ministério Público, a entidade presidida pelo padre recebia cerca de R$ 20 milhões em doações mensalmente. O dinheiro seria usado, entre outras finalidades, para a construção da nova Basílica, orçada, inicialmente, em R$ 100 milhões. A construção, que tinha previsão de entrega para 2022 e foi adiada para 2026, ainda está na fase de fundação.


Com informações do G1


188 visualizações
  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • White Twitter Icon
leão icone.png

LEIA PRIMEIRO

© 2020 POR MARCK PUBLICIDADE.