• Taís Moreira

Revitalização: Setor de Rádio e TV Sul ganha R$ 5,2 milhões em obras de acessibilidade

Projeto prevê readequação do sistema viário com criação de mais vagas de estacionamento e paisagismo. Programa de revitalização vai criar 300 empregos

Foto: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília


O Setor de Rádio e TV Sul (SRTVS), no coração de Brasília, vai mudar de cara. As obras de requalificação e de revitalização já foram licitadas e terão investimento de R$ 5,2 milhões. As melhorias envolvem readequação do sistema viário com aumento de 64% no número de vagas regulares e ênfase na acessibilidade para privilegiar pedestres e pessoas com deficiência.


O projeto arquitetônico e urbanístico foi elaborado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) e a Secretaria de Obras e Infraestrutura (SODF) vai gerir a execução. A verba vem do Fundo de Desenvolvimento Urbano do Distrito Federal (Fundurb) e a previsão é que mais de 300 empregos diretos e indiretos sejam gerados.


“O SRTVS faz parte da história da cidade. Não podemos deixar a situação como está. Essa revitalização vai dar cara nova ao local, estimulando o comércio e o tráfego de pessoas”, afirma a secretária-executiva de Obras, Janaína Chagas. O objetivo é fomentar o uso do transporte público e circulação a pé, com intervenções de readequação do sistema viário, acessibilidade, paisagismo, drenagem, pavimentação, sinalização e obras complementares.


Estudos foram realizados pela Seduh em parceria com o Centro de Estudos de Espaços Públicos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de Brasília (UnB), com contagem de pedestres em nove pontos do setor e elaboração de um mapa comportamental para permitir mais urbanidade aos locais onde as pessoas ficam por mais tempo.


“Para as urbanizações, procuramos demarcar a área de estacionamentos de um lado das vias mantendo, na faixa de rolamento, dimensão suficiente para passagem de carros de emergência, mas sem espaço para que carros estacionem do outro lado”, explica a Coordenadora de Projetos da Seduh, Anamaria de Aragão Costa Martins. O resto da via servirá para aumento de calçadas.


Leia também

GDF recupera Ponte no Núcleo Rural Alexandre Gusmão em Brazlândia

Pesquisa mostra que 86,9% aprovam construção do Túnel de Taguatinga


De acordo com ela, a falta de urbanização nas áreas de pedestres leva ao estacionamento irregular. Por isso, o projeto amplia para 475 o número de vagas regulares – além de 58 para motos. Além disso, organiza os estacionamentos com foco na criação de três portas de entrada: na frente da W3 Sul, onde há acesso pelo transporte coletivo; na frente do Shopping Venâncio, com a criação de um calçadão linear; e na área de terra da quadra 702 onde os carros estacionam, de frente para um colégio particular.


Atualmente, o SRTVS tem 288 vagas públicas regulares na superfície, sendo quatro para idosos, seis para deficientes, 21 para veículos oficiais e 257 para restante do público. De acordo com a gestora, os estudos identificaram 314 carros estacionados de forma irregular ao longo das vias do setor ou em filas duplas, sob os cuidados de flanelinhas – sendo mais de 280 parados total ou parcialmente sobre a grama, terra ou calçadas.


Todas as calçadas seguirão os moldes da revitalização da W3, com piso pré-moldado de 40 centímetros quadrados. Nos três pontos de entrada, serão usados tons de vermelho, cinza e branco para dar caracterização especial e criar atrativo. Além disso, os pontos de travessia para pedestres terão plataforma elevada – nivelando o asfalto à calçada – reforçando a prioridade em relação aos veículos.


Como Zona 30, com velocidade máxima de 30 quilômetros por hora, veículos e bicicletas poderão compartilhar o espaço.



Demanda da comunidade

As melhorias são demanda antiga da comunidade. O empresário Cássio dos Santos, de 38 anos, tem um escritório de contabilidade em um prédio no local há 15 anos. “Aqui nunca mudou nada. Até a placa de estacionamento é a mesma”, relata. Para ele, o grande problema é a mobilidade. “Além de pontos de acesso a pedestres e cadeirantes serem ruins, tem que resolver a questão dos estacionamentos. Só não param em cima da cerca porque não tem jeito”, aponta.


“Com a desordem, há vários problemas. Tem que haver requalificação, principalmente no quesito de acesso de veículos e livre circulação de pessoas”, acredita o arquiteto Mauro Cauville, de 64 anos (foto). Para além disso, porém, ele entende que é necessário bom senso e educação de quem anda por ali. “Não adianta ter placa se as pessoas não obedecem. Pode ser o melhor projeto paisagístico, urbanístico e de mobilidade do mundo”.


De acordo com a administradora regional do Plano Piloto, Ilka Teodoro, o SRTVS integra a área central sul da cidade, região com maior fluxo de pedestres. “As obras melhoria terão foco na acessibilidade, organização do trânsito e estacionamentos e segurança. Facilitará o acesso aos estabelecimentos em funcionamento na região”, afirma.


Benefícios econômicos

Os benefícios devem vir, também, para a área econômica. É o que prevê o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-DF), José Carlos Magalhães. “Essa revitalização é de suma importância para o Plano Piloto, Brasília e todo o DF. Traz bem-estar para o cidadão, que passa a gostar mais do setor, e o varejo vê isso com bons olhos, com a possibilidade de instalação de novas lojas”, diz.


Ele usa como exemplo a W3 Sul, onde, “mesmo com a pandemia, é difícil achar loja para alugar nas quadras revitalizadas”. E completa: “O varejo é um dos maiores empregadores. Esse tipo de ação é importante para a geração de empregos e dará nova vida ao Plano Piloto”, aposta.


Agência Brasília




25 visualizações
  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • White Twitter Icon
leão icone.png

LEIA PRIMEIRO

© 2020 POR MARCK PUBLICIDADE.